.

.

.

el sabroso oficio / del dulce mirar Góngora – ¡Qué difícil es entender la belleza! Günter Eich

sábado, 18 de noviembre de 2017

Tete Montoliu & Maite Martín - El día que me quieras




No es un tango, pero bueno, le ponemos la etiqueta por los compositores. El día que me quieras es una canción cuya música fue compuesta por Carlos Gardel y la letra, escrita por Alfredo Le Pera. Fue grabada por primera vez el 19 de marzo de 1934 y hay unas doscientas versiones de la misma.

La de hoy es un mano a mano entre Maite Martín y Tete Montoliu.








viernes, 17 de noviembre de 2017

Carlos Paredes - Verdes anos (Teatro São Luiz, 1992)




La composición Verdes anos, del guitarrista portugués Carlos Paredes (1925 - 2004), ya había sido publicada aquí, pero me he encontrado esta grabación, realizada en el Teatro São Luiz de Lisboa en 1992, en el blog dedicado a este gran instrumentista: Carlos Paredes. Uma guitarra portuguesa, que incluye, además, discografía, bibliografía, partituras...

En esta grabación, lo acompaña a la guitarra, Luísa Amaro.

Muitos anos antes...

Primer LP de Carlos Paredes (1967)


Em "Guitarra Portuguesa" nasciam algumas das melodias mais imediatamente identificáveis com Portugal, qualquer que seja a nacionalidade de quem ouve. Nota curiosa: o tema "Dança" foi escolhido por Paul McCartney para música ambiente na sua digressão mundial de 1989.

Alain Oulman, o célebre compositor de Amália Rodrigues, escreveu estas palavras: «A música de Carlos Paredes exprime, a meu ver, mais do que nenhuma outra, a terra e as gentes de Portugal. É intemporal, como a de Theodorakis quando canta a Grécia, como, aliás, deve ser a verdadeira música. Não se pode catalogar a música de Carlos Paredes, nem determinar as suas origens – uma possível influência de música barroca que não esconde a voz pessoal de um homem que ama o seu país profundamente, que se não envergonha de o confessar e que o faz com delicadeza e força viril. Para empregar uma expressão portuguesa que significa que alguém não tem parceiro, Carlos Paredes é um ‘caso’.

A primeira vez que o ouvi tocar foi em casa de Amália Rodrigues que também nunca o ouvira anteriormente. Ficámos todos desfeitos. Amália chorava e dizia que só lhe apetecia bater-lhe – reacção muito frequente nela quando se sente comovida pelo virtuosismo de alguém; nenhum de nós compreendia porque não era ele mais conhecido, pelo menos em Portugal. Paredes pedia desculpa como tocara – o que faz muitas vezes, pois é o seu pior crítico – e, para acreditar em tanta modéstia, é necessário vê-lo e ouvi-lo. Tínhamos perante nós uma ‘voz’ electrizante em música portuguesa, auxiliada por um extraordinário virtuosismo – e todos sentíamos que tal ‘voz’ tinha de ser conhecida em Portugal e além fronteiras. [...]

(Portal do Fado)





Fernando Pinto do Amaral - Jardín




JARDÍN

Es fácil  encontrar el paraíso:
hasta en noviembre, cuando la luz es breve
y el sol se duerme en los tejados,
hay un jardín donde mis pasos vuelan
y cada sueño vuelve a ser igual
que el secreto sentido que se estremece
entre las alas de las aves, tan veloces
como el viento que se lleva nuestras vidas.

Fernando Pinto do Amaral


Traducido por El transcriptor



JARDIM

É fácil de encontrar o paraíso:
mesmo em novembro, quando a luz é breve
e o sol adormece nos telhados,
há um jardim onde os meus passos voam
e cada sonho volta a ser igual
ao secreto sentido que estremece
entre as asas das aves, tão velozes
como o vento que leva as nossas vidas.




(Fotografía de Américo Meira)



jueves, 16 de noviembre de 2017

Una foto de Fernando Lemos




Fernando Lemos, Luz Teimosa, 1949 ("Luz obstinada")






The Smiths - I Know It's Over











(Fotografía de Geordie Wood)